Vale a pena levar o carro do Brasil para Portugal?

0
1208

Decidir o que vai e o que fica quando estamos de mudança não é uma tarefa fácil, afinal, é preciso considerar a utilidade e o valor sentimental de cada coisa na hora de reunir “toda a vida” em duas malas de 23 kg e migrar para um novo país. Alguns itens são mais fáceis de serem transportados. Outros, como o carro, exigirão uma logística maior, e acabam gerando a dúvida: levar ou não levar na mudança?

É possível enviar o veículo do Brasil para Portugal, mas é importante considerar uma série de fatores antes de decidir pelo sim. O primeiro passo é avaliar se realmente é necessário levar o automóvel, em vez de vendê-lo. Os preços dos carros em Portugal não são altos como no Brasil, e lá dá para comprar um bom seminovo por 10 mil euros, por exemplo. Desse modo, uma solução interessante é vender o veículo no Brasil e usar o dinheiro para comprar outro na terrinha.

Agora, se o veículo faz parte da sua vida e você não quer abrir mão dele, é melhor se preparar para preencher algumas etapas. O carro é transportado via marítima e a viagem costuma levar 20 dias. Há duas formas de enviar o carro para Portugal por navio:

Veja também: Como alugar um veículo em Portugal

Container

Como já é comum a pessoa alugar um container para enviar a sua mobília para outro país, essa é a opção mais conhecida, pois ela também pode alugar um e colocar um carro dentro.

O veículo pode ir sozinho em um container. Essa é a forma mais cara, porém mais segura, já que o carro viaja em um contentor lacrado que é aberto na frente do dono no país de destino.

Uma vez o carro dentro do container lacrado, é muito improvável acontecer alguma coisa com ele, entretanto, há seguro para caso o contentor sofrer algum tipo de dano ou cair do navio.

O automóvel também pode dividir espaço com outros carros despachados, ou ainda com cargas de qualquer tipo de outras empresas. Nesse caso, qualquer dono de um dos itens transportados pode solicitar a abertura do container também.

Várias empresas alugam containers e podem facilitar esse processo. EuroBrasil, One moving & Relocation, G-Inter Transportes e Personnalite Mudanças são algumas delas.

Roll in – Roll Off

No transporte Roll in – Roll Off (também chamado de RORO), o carro é estacionado no pátio do navio, geralmente ao lado de carros novos que estão sendo exportados ou importados, e vai até o destino final. Para donos de carros grandes que não cabem nos containers, essa pode ser a melhor opção.

Uma vez que não é preciso um guindaste para carregar e descarregar o container no navio, o processo torna-se mais simples e menos dispendioso. O lado negativo é que, além de serem comuns alguns furtos devido ao fato de o carro estar exposto à tripulação durante toda a viagem, é preciso entregar a chave do veículo para os operadores do porto, que irão conduzir o automóvel do porto até a vaga no pátio. Se acontecer alguma falta de cuidado, muito dificilmente a empresa irá se responsabilizar pelo dano.

Nem todos os portos oferecem essa modalidade de transporte, por isso, é preciso pesquisar qual caminho deverá ser percorrido até chegar ao embarque.

Documentos e custos

Levar um carro para outro país não é tão simples e exigirá uma documentação criteriosa, por isso, é importante contar com o trabalho de um bom despachante para ajudar a cuidar de tudo. No processo deverá contar as cópias das passagens aéreas, passaporte, documento do carro e documentos de entrada da aduaneira do porto de embarque, como um packing list (um documento padrão para importação que descreve todas as informações do carro).

Os custos do transporte irão variar de acordo com vários itens, mas é possível fazer uma simulação dos gastos aqui.

Quando chegar em Portugal

O dono do carro tem até 20 dias úteis após a entrada do veículo em território nacional para ir a qualquer agência aduaneira para regularizar a situação do veículo. Ele deverá apresentar:

  • Declaração Aduaneira de Veículo (DAV – Mod. 22.1101);
  • Fatura de aquisição do veículo ou declaração de venda emitida de acordo com as regras vigentes no país de proveniência do veículo, tratando-se de compra e venda entre particulares;
  • Documentos originais do veículo (certificado de matrícula ou documento equivalente);
  • Documento comprovativo de transporte e respectivo recibo de pagamento sempre que o veículo não ingresse no território nacional pelos seus próprios meios;
  • Certificado de conformidade comunitário, modelo 9 do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) e ficha de inspeção técnica (modelo 112);
  • Documento comprovativo de transporte e respectivo recibo de pagamento sempre que o veículo não ingresse no território nacional pelos seus próprios meios;
  • Documento comprovativo da medição efetiva das emissões de CO2 por centro técnico legalmente autorizado (Centros de Inspeção da Categoria B), sempre que tal elemento não conste do certificado de conformidade do veículo.

Após a apresentação da documentação do veículo à alfândega para regularização fiscal, o prazo máximo de pagamento do Imposto Sobre Veículo (ISV) é de dez dias úteis a contar da notificação da liquidação. O imposto é pago uma única vez e incide sobre a primeira matriculação de um veículo em Portugal.

Mais informações no site da Autoridade Tributária e Aduaneira de Portugal.

Veja também: Seguro de carro: aprenda como funciona e como obter o mais barato

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here