Como viajar com meu animal de estimação

0
547

Se você está pensando em viajar com seu animal de estimação para Portugal, seja a passeio ou para morar, o primeiro passo é o planejamento. O processo não é difícil, mas burocrático e demorado, já que pode levar até cinco meses.

O primeiro passo é manter a carteira de vacinação, antipulgas e o vermífugo em dia. A partir daí, começa todo o processo para embarcar seu bichinho em segurança. Separamos o passo a passo do que você deverá fazer para não ter nenhum problema.

Vale lembrar que os animais permitidos para viajar para Europa são cachorros, gatos e furões.

Microchip

Essa é a primeira etapa da viagem do seu animal. Leve-o a uma clínica veterinária de confiança para a implantação do chip. O microchip precisa ser padrão ISO 11784 e ISO 11785 para ser considerado válido. É muito importante o cadastramento correto dos dados do animal e do seu responsável. Após a colocação do chip, o veterinário vai fornecer o certificado e o número de identificação.

Vacina antirrábica

Depois a implantação do microchip, é feita a vacina contra raiva e aí é preciso esperar 30 dias para a próxima etapa do processo.

Sorologia

Esse exame é o que leva mais tempo e seu bichinho só pode viajar depois de 90 dias a partir da data da sorologia.

A amostra de sangue deve ser colhida e enviada ao CCZ (Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo), único no Brasil credenciado pela União Europeia para realização desse exame. Algumas clínicas veterinárias fazem a coleta e enviam diretamente ao CCZ. O resultado do exame deve ser superior a 0,5MI/ML. Caso contrário, todos os passos precisam ser refeitos, exceto a colocação do chip.

Passagem aérea e caixa transportadora

Tudo certo com o resultado da sorologia? Ótimo! Agora é hora de consultar a companhia aérea para descobrir se, pelo peso do animal, ele está liberado para viajar na cabine ou no porão e adquirir a caixa transportadora. As especificações da caixa devem ser passadas no momento da reserva da passagem e serão conferidas no check-in. A caixa precisa estar dentro das normas IATA e respeitar o tamanho do bichinho de estimação.

Os animais com mais de 8 kg viajam no porão do avião e a caixa transportadora tem um limite de tamanho mínimo e máximo e o animal precisa conseguir dar uma volta dentro da caixa. Geralmente, os animais que viajam no compartimento pet precisam ter uma caixa bem resistente e com furinhos para que eles consigam respirar.

Não economize nas pesquisas, pois cada companhia aérea tem suas regras para embarque de animais.  Há um limite do número de animais por voo e a companhia aérea precisa ser avisada com antecedência sobre a presença do seu animal de estimação. Por isso, ao comprar a passagem aérea, já informe à companhia que você vai embarcar com seu bichinho.

Emissão do CZI e solicitação do atestado

Já estamos chegando no fim do processo. Após a passagem comprada e o exame de sorologia em mãos, é necessário agendar um horário na Vigiagro, um órgão do Ministério da Agricultura. Eles irão emitir o CZI, um certificado veterinário internacional, documento importante que permite a entrada do animal na União Europeia. Esse certificado é valido por 10 dias, por isso, tenha atenção ao prazo.

Com o horário na Vigiagro agendado, é  preciso voltar ao veterinário e solicitar um atestado de saúde, um tipo de autorização afirmando que o animal está saudável para viajar. O documento deve conter os dados no pet, estado de saúde, confirmação de que ele não possui doença parasitária, CRMV do médico, assinatura e número de inscrição.

Esse atestado deverá ser entregue no Vigiagro e tem validade de apenas três dias, então o ideal é solicitá-lo um dia antes da data agendada. Com tudo em mãos, basta comparecer com os documentos necessários e retirar o CZI. Não é preciso levar o animal.

Avisar ao aeroporto de destino

É preciso avisar ao aeroporto de chegada que você está levando um animal. Envie um e-mail para a vigilância sanitária do aeroporto (DGAV) com 48 horas de antecedência. Todos os documentos precisarão ser reapresentados lá, portanto, fique atento para não esquecer nenhum antes de sair do país. Uma dica é guardar tudo dentro de uma mesma pasta.

Embarque

Converse com seu veterinário para saber como tornar esse dia mais tranquilo para seu animal de estimação.

Coloque um tapete higiênico dentro da caixa transportadora e um bebedouro de água (escolha um modelo que não derrame). Além disso, inclua alguns brinquedos do seu animal e uma peça de roupa usada com o seu cheiro, para que ele se sinta mais seguro.

Alimente seu cão com várias horas de antecedência do voo para que dê tempo de ele fazer suas necessidades antes e não embarque com o estômago muito cheio. Ao chegar no aeroporto, deixe ele fazer um último xixi antes do embarque.

Por fim, o mais importante: transmita calma e confiança para o seu animal. Ele pode ficar agitado e ofegante, por isso, tente acalmá-lo e se manter tranquilo.

Lembre-se também de chegar ao aeroporto com 4 horas de antecedência do voo, para evitar qualquer correria.

Durante o voo

Algumas companhias aéreas escolhem um lugar com mais espaço para quem viaja com o pet. Se algum passageiro for alérgico ou não quiser ficar perto de um animal, ele ou você podem ser trocados de lugar na aeronave.

Provavelmente seu animal não irá fazer suas necessidades durante o voo. O dono que decide se dá ou não água e comida no trajeto.

Valores

O valor do processo varia de acordo com cada cidade e cada clínica ou hospital veterinário, mas a média de valores é a seguinte:

  • R$ 150,00 (implantação do microchip);
  • R$ 400,00 + transporte (Sorologia);
  • R$ 700,00 (média de valores da companhia aérea para transportar animais);
  • R$ 200,00 (caixa de transporte);
  • Total = R$ 1.450,00 (mais os gastos com o veterinário).

Chegando em Portugal

Ainda no aeroporto, um veterinário irá avaliar novamente os papéis. Após se estabelecer em Portugal, procure um veterinário para fazer o cadastro do microchip de acordo com as regras de lá e colocar o novo endereço e contatos.

Dicas importantes

No espaço pet do avião a refrigeração é a mesma da cabine, por isso, não precisa ficar preocupado com o bem-estar do pet.

Animais que viajam na cabine devem permanecer durante todo o voo dentro da bolsa ou caixa de transporte.

Antes da viagem, treine seu cão na caixa de transporte. Essa adaptação será fundamental para o bem-estar dele durante o voo.

É importante ficar atento ao site da União Europeia para verificar alguma possível mudança nos laboratórios credenciados para o exame de sorologia ou no processo.

Veja mais informações sobre os quesitos de para levar animais no site do Ministério da Agricultura. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here