Visto D2: Conheça a história de quem foi para Portugal com um

0
1817

Tirar o visto D2 pode ser uma tarefa burocrática, mas não é difícil. Às vezes, o que você precisa é de um incentivo para correr atrás do seu sonho de empreender em Portugal. Por isso, viemos aqui te contar uma história que deu certo! Quem sabe a próxima pode ser a sua?

Elaine Souza já havia ido a Portugal a passeio três vezes até que decidiu ficar. “Já há algum tempo eu vinha buscando sair do Brasil de forma definitiva por uma série de motivos pessoais. Eu conheço bem a Europa, já passeei bastante e também vivi em diferentes países, porém sempre com visto de estudante, de trabalho temporário ou turista, mas chega uma hora em que você quer se estabelecer em um lugar e isso também coincidiu com um momento de mudança profissional”.

Elaine Souza conta como foi para Portugal com visto D2

Formada em Administração de Empresas, Elaine percebeu que os empregos tradicionais em escritórios não proporcionavam a realização pessoal que ela tanto buscava. Foi quando, em 2015, decidiu fazer umas sessões de Coaching de carreira para se descobrir e decidir como combinar as coisas que gostava com um negócio. “Sempre gostei muito da área da beleza, saúde e bem estar e comecei a pesquisar e investir em cursos e formações”.

Foi quando Portugal entrou na história “Nessa mesma época, comecei a pesquisar quais países ofereciam facilidades para o imigrante microempreendedor e vi que Portugal tinha essa opção de visto e não exigia um investimento muito grande. Como eu já havia visitado anteriormente e tenho amigos e conhecidos que já me contaram como é viver em Portugal, eu já sabia mais ou menos como seria. Apesar de falar quatro idiomas, não dá para negar que o fato de Brasil e Portugal falarem a mesma língua e haver similaridades culturais facilita para muitas coisas”.

Ao olhar ainda o bom clima, o custo de vida baixo, a ótima culinária, a tranquilidade, segurança e hospitalidade de muitos portugueses, não foi difícil decidir pelo país como novo lar.

A partir daí foi reunir a experiência que Elaine já tinha e ver qual seria o melhor caminho para o visto D2. “Eu já trabalho por conta própria há alguns anos, já tinha CNPJ no Brasil, conta pessoa jurídica, etc., então eu pude demonstrar que já tinha experiência em ser microempreendedora, pois esse era um dos pré-requisitos”.

Outra coisa que Elaine fez foi adiantar o processo quando esteve em Portugal em dezembro de 2016. “Eu já havia contratado um contador, abri a empresa com contrato social, tirei o NIF, abri a conta bancária, fiz o depósito com o investimento inicial, comecei a pagar a seguridade social desde o primeiro mês de abertura, etc. Então, quando eu cheguei ao consulado eu já tinha tudo isso pronto”.

Elaine diz que, apesar de trabalhoso, o caminho não foi difícil e em aproximadamente dois meses ela já estava com o visto nas mãos. “Eu fui ao Consulado de Portugal em São Paulo três vezes no total: a primeira, depois de preencher o requerimento online e pagar a taxa, foi para entregar os documentos para análise. Na segunda fui convocada para a entrevista, onde eles me pediram um plano de negócios (que fiz sozinha seguindo um modelo disponibilizado gratuitamente pelo Sebrae) e depois recebi o e-mail dizendo que a minha solicitação havia sido aprovada e agendei a última visita para ir buscar o visto pessoalmente”.

E em Junho de 2017 veio a mudança definitiva para Lisboa. Como já havia estado no país, a adaptação não teve muita dificuldade. “Também já estou acostumada com o clima temperado. Os pastéis de Belém, as padarias e os vinhos me consolam quando sinto falta do calor”.

Com o tempo, os planos vão se adaptando à nova realidade, mas Elaine segue convicta de que tomou a decisão certa. “Estou firmando novas parcerias em busca de ampliar a gama de serviços oferecidos voltados para o ramo de saúde, bem estar e terapias naturais. Acredito na saúde integral e no equilíbrio dos três pilares Corpo – Mente – Emoções, onde um depende do outro e devemos nos cuidar baseados nessa totalidade”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here